Seja bem vindo
Guamá,15/08/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

Há 20 anos, Vandick regia virada heroica e Paysandu conquistava título inédito da Copa dos Campeões

Com o título, Papão garantiu uma vaga na Copa Libertadores do ano seguinte


Há 20 anos, Vandick regia virada heroica e Paysandu conquistava título inédito da Copa dos Campeões


Há exatos 20 anos, o Paysandu conquistou a Copa dos Campeões, o maior título da história do clube. Após vencer o Cruzeiro no tempo normal por 4 a 3. O resultado igualou a decisão (a Raposa ganhou o jogo de ida por 2 a 1) e o Papão derrotou o time mineiro por 3 a 0, nos pênaltis.

A conquista deu o direito ao Papão a um feito inédito na história do futebol do Norte do Brasil: o Paysandu se tornou o primeiro clube desta região a se classificar para a Copa Libertadores de 2003 - escrita que permanece até hoje. A equipe de O Liberal relembra agora a campanha do campeão.

Campanha

Primeira fase

O Paysandu iniciou a Copa dos Campeões no grupo A - onde todos os jogos foram no Mangueirão. O time alviceleste esteve ao lado de dois gigantes do futebol nacional, o Corinthians e o Fluminense, e também do Náutico.

O Bicola só foi vencer na última rodada, após empates contra Timão e Tricolor, ao derrotar o Timbu por 3 a 2. Com isso, o time paraense se classificou em primeiro e o Flu ficou com a segunda vaga.

Mata-mata

As quartas e as semifinais foram disputadas em jogos únicos, com ambos os duelos também no Mangueirão. Primeiro, o Paysandu avançou após vencer o Bahia por 2 a 1, com um gol de pênalti de Jóbson aos 48 do segundo tempo. Enquanto nas semis, o Papão venceu o Palmeiras com certa autoridade, por 3 a 1.

O adversário

Na decisão, o Paysandu enfrentaria o Cruzeiro, mais um grande, que cinco anos antes havia sido campeão da Libertadores e tentava retornar ao principal torneio sul-americano de clubes. No mata-mata, a Raposa passou por Goiás e Flamengo para alcançar a decisão.

É campeão!

Mesmo jogando no Mangueirão, o Paysandu viu o Cruzeiro jogar melhor e vencer o primeiro jogo por 2 a 1. Mas o gol solitário de Sandro Goiano deixou os bicolores mais do que vivos para a volta, no Castelão, em Fortaleza (CE). Na volta, com show do ídolo Vandick (que marcou três), o Papão venceu nos pênaltis.

No tempo normal, Fábio Júnior abriu o placar para o Cruzeiro aos 9. O atacante Vandick igualou aos 11 e virou aos 22. Cris empatou de novo aos 39, mas Vandick colocou o Papão à frente novamente, um minuto depois. Já na segunda etapa, Fábio Júnior fez mais um aos três e Jóbson garantiu a vitória Bicolor aos 12, por 4 a 3.

Números

Os números corroboram que o Paysandu fez por merecer o troféu de campeão. Além da taça, o Papão teve o melhor ataque da competição, com 14 gols, com Vandick sendo o vice-artilheiro, com cinco.

Na classificação geral, Papão e Raposa terminaram empatados, com 14 pontos para cada um, com quatro vitória, dois empates e uma derrota. Boa parte da base usada pelo Paysandu viria, um ano depois, a fazer história novamente, na Liberta.

Campanha do Paysandu na Copa dos Campeões – 2002

Primeira fase

Paysandu 1 x 1 Corinthians-SP

Paysandu 0 x 0 Fluminense-RJ

Paysandu 3 x 2 Náutico-PE

Quartas de final

Paysandu 2 x 1 Bahia-BA

Semifinal

Paysandu 3 x 1 Palmeiras-SP

Final

Paysandu 1 x 2 Cruzeiro-MG

Cruzeiro-MG 3 x 4 Paysandu – MG – Pênaltis: CRU 0 x 3 PAY



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login