Polícia diz que adolescente atirou ao menos 100 vezes em massacre no Texas

Por Alexandre Meireles 27/05/2022 - 19:20 hs

Steven McCraw, diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas, disse que Salvador Ramos, autor do massacre na escola primária Robb, no Texas, atirou pelo menos 100 vezes, baseando-se nas evidências de áudio. A declaração foi dada nesta sexta-feira, 27, durante coletiva de imprensa em que McCraw atualizou as informações sobre o ataque.

O assassino entrou às 11h33, no horário local, nas salas de aula e começou a atirar. Minutos depois, às 11h35, três oficiais da polícia do Departamento de Uvalde entraram nas mesmas salas que o suspeito entrou e foram seguidos por outros quatro oficiais, sendo três policiais e o xerife, que chegaram em seguida. 

Os três primeiros policiais foram direto para a porta, enquanto outros dois sofreram ferimentos de raspão quando a porta estava fechada. A partir de 11h37, mais 16 tiros ocorreram.  Às 12h03, oficiais continuavam chegando e já havia 19 esperando no corredor.

Os policiais ficaram aguardando pela chegada de uma equipe tática e pela chave do zelador da escola, o que ocorreu mais de uma hora após o assassino entrar no prédio. 

A polícia de Uvalde foi criticada pelo atraso para prender o atirador, que estava escondido em uma sala de aula. O Departamento de Polícia adimitiu que errou ao demorar parar intervir na situação.

“Em retrospectiva… foi a decisão errada, ponto final”, disse McCraw em entrevista coletiva. “Pelo que sabemos, achamos que deveriam ter entrado o mais rápido possível.”

O alto funcionário, porém, também disse que o comandante no local acreditava que o suspeito, estava sozinho no local em que se escondia e que não havia sobreviventes entre os alunos.

“Não estou defendendo nada, mas se você voltar no tempo, houve centenas de tiros disparados em quatro minutos naquelas duas salas de aula”, disse McCraw.

“Os tiros subsequentes foram esporádicos e foram disparados contra a porta. Então eles acreditavam que ninguém estava vivo e que o sujeito estava tentando manter a polícia afastada.”

As autoridades também informaram que duas crianças que estavam dentro da escola ligaram para a emergência.

No entanto, McCraw disse que uma ligação para a emergência, recebida às 12h16, horário local e feita por duas crianças, relatou que oito ou nove alunos ainda estavam vivos. As autoridades forçaram a porta da sala de aula 34 minutos depois, às 12h50.

Com informações do R7