Influencer paraense denuncia racismo em loja. Assista!

Por Alexandre Meireles 30/11/2021 - 21:50 hs

A produtora de conteúdo Palloma Corrêa viajou para São Paulo junto com a amiga Adjaniir, outra digital influencer paraense, para fazer um trabalho de publicidade e passear pela cidade. No fim da tarde desta terça-feira (30), ao visitar uma loja, Palloma relatou ter sofrido injúria racial por uma mulher que estava acompanhada da filha.

Em uma sequência de stories publicados por Adja, é possível ver a mulher empurrando a filha para fora da loja. Segundo a Palloma, ela tentou se aproximar da cliente e, quando chegou mais perto, a mulher saiu correndo com a adolescente deixando as compras para trás.

“Eu mandei mensagem pra Adja, pedindo que ela viesse até o fim da loja que era para eu saber se era impressão minha. A mulher pegou a filha dela pelo braço, me olhou assim... e saiu correndo. Ela deixou tudo pra trás, deixou as compras e o dinheiro. Ela me olhou como se eu fosse um bicho. Eu nunca passei por isso. Na hora eu travei, eu nem estava acreditando”, relatou Palloma no Instagram.

A produtora de conteúdo ainda ficou indignada por não ter recebido ajuda de ninguém. “Eu sai da minha cidade pra vim pra cá (São Paulo) e fui julgada pela minha imagem, sabe?. Tinha um rapaz que ficava na frente da loja, acho que era guardador de carro e ele foi o único que falou comigo. Ele me perguntou o que estava acontecendo e eu só consegui abraçar ele e chorar. Não consegui falar nada”, continuou

Em uma parte do vídeo, Adjaniir questiona a mulher: “tu estás com medo dela? Saiu puxando todas suas filhas porque ela chegou perto? A mulher retruca: “puxando quem? Vocês estão filmando toda hora, todo mundo observando, eu preferir sair e tá tudo bem. É impressão sua”. Adja, então, rebat: “negativo, você saiu correndo que as vendedoras foram até entregar seu troco”

Veja:

Após o constrangimento, as duas foram até uma delegacia de polícia para registrar um boletim de ocorrência do ocorrido.

“Vocês puderam ver toda a situação no vídeo que eu gravei. Já fizemos a ocorrência, vamos pro hotel e não vamos deixar passar, nem que a Palloma tenha que voltar aqui, mas ela vai voltar porque isso não vai ficar impune", disse Adjaniir em apoio à Palloma.