Últimas duas semanas tiveram mais casos que primeiro semestre da pandemia, diz OMS

Por Alexandre Meireles 03/05/2021 - 16:09 hs

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 3, o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que, nas últimas duas semanas, o mundo teve mais casos novos de covid-19 do que nos seis primeiros meses da pandemia, em 2020. Mais da metade dos diagnósticos foi feito no Brasil e na Índia.

Tedros alerta que “Há muitos países além desses dois em situação muito frágil. O que está acontecendo lá pode se repetir em qualquer lugar, caso as precauções não sejam tomadas. As vacinas são parte da resposta, mas não a única” diz.

Os diretores explicaram que na Índia, por exemplo, não há doses suficientes para o reforço do imunizante, e a OMS trabalha para garantir que o país tenha como vacinar a população e aliviar o serviço de atendimento de saúde. A doação de 60 milhões de doses pelos Estados Unidos ainda é esperada pela entidade.

Ele agradeceu países como Suécia, Nova Zelândia, França e Noruega por terem doado doses da vacina de Oxford/AstraZeneca para a Covax Facility, ferramenta da OMS que realiza distribuição de imunizantes para países de média e baixa renda. “Pedimos que todos os países que puderem doar, doem“, disse.

A imunologista responsável pelo combate a pandemia, Maria Van Kerkhove, destaca que mesmo em países onde a transmissão está baixa, é preciso continuar tomando todos os cuidados. “Não dê oportunidade para a transmissão subir novamente, essa pandemia está longe de acabar”, enfatiza.

Com informações do Metrópoles













Rádio Guamá