Jogadores do Paysandu são vítimas de racismo em ônibus de Belém

Por Alexandre Meireles 27/10/2020 - 19:40 hs

O Paysandu emitiu nota na tarde desta terça-feira, 27, em repúdio ao preconceito racial sofrido por dois atletas da equipe sub-23 do clube na noite desta segunda-feira enquanto retornavam para casa após o treino no estádio da Curuzu.

Segundo informado pelo clube, George e Debu estavam em um ônibus quando o mesmo foi parado pela polícia após uma passageira acionar os guardas denunciando que haviam "suspeitos" no local. Os dois atletas foram revistados e nada que comprovasse a tal suspeita foi encontrado. 

Ainda na nota, o Paysandu diz que prestou todo o suporte psicológico e jurídico aos jogadores. A assessoria de imprensa do clube ainda não informou se foi feito um boletim de ocorrência sobre o fato. 

Confira a nota na íntegra:

Até quando a presença de jovens negros em um local público vai incomodar a sociedade?

Nossos atletas George e Debu, do time sub-23, voltavam para casa ontem à noite, quando o ônibus em que eles estavam recebeu ordem de parada, depois que uma passageira acionou a polícia para denunciar que havia suspeitos ali.

Os jogadores tiveram de descer do coletivo para revista pessoal. Foram minutos de muito constrangimento. Na mochila, nada de armas ou drogas, como devia imaginar a denunciante. Eles carregavam apenas chuteiras e os uniformes banhados de suor, após mais um dia de treino.

George e Debu poderiam ter tido um dia melhor, mas não. Terminou de uma maneira muito desconfortante para dois jovens humildes, negros, que precisaram dar explicações por simplesmente não terem feito nada.

A vocês, George e Debu, toda a nossa solidariedade e dividimos esse sentimento de revolta com ambos.

Eles receberam todo o suporte psicológico e jurídico do clube.

Já chega de racismo! Basta!