Supermercados devem contratar mais funcionários até o final do ano

Por Alexandre Meireles 26/10/2020 - 10:17 hs

Enquanto vários setores da economia tiveram de suspender as suas atividades no começo da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o setor supermercadista, considerado um serviço essencial, observou um crescimento expressivo nas vendas, o que culminou com a abertura de novas lojas das redes de supermercados e novas vagas de emprego. Em todo o país, o setor registrou um crescimento de 3,94% nas vendas nos últimos 12 meses.

No Pará, de outubro até dezembro deste ano, o setor espera receber um acréscimo de 3% a 4% no quadro de funcionários das redes com a contratação de temporários. É o que estima a Associação Paraense dos Supermercados (ASPAS). Para além da venda presencial, durante a pandemia, as redes de supermercados também vivenciaram um aumento nas modalidades de venda por aplicativo e delivery, conforme informou Jorge Portugal, presidente da Aspas.

Com o setor economicamente aquecido, neste final de ano, a expectativa da Aspas é de que se mantenha o ritmo de vendas. Para Portugal, o pagamento do auxílio emergencial pelo governo federal foi determinante para que o setor alavancasse as vendas. Nesse sentido, o Pará ganhou destaque no cenário nacional. “Tivemos uma grande contribuição para aumentar as vendas que foi o auxílio emergencial. Foi fundamental, não somente para as pessoas que receberam, mas para as empresas. E veio ajudar para que as pessoas comprassem principalmente alimentos”, disse.

Uma pesquisa desenvolvida e divulgada recentemente pela Associação Paulista de Supermercados (APAS) revelou que as redes supermercadistas continuam contratando. O levantamento apontou que o Pará ocupa a 5ª posição entre os estados que mais contrataram em seis meses (num total de oito meses avaliados este ano). “Ao invés de ocorrerem demissões, ocorreram contratações. Aumentando a venda, automaticamente precisa de mais trabalhadores”, afirmou o empresário.

NOVAS LOJAS

De acordo com Portugal, o dado que colocou o Pará como o quinto colocado no quesito contratações no setor se deve, também, a abertura de novas lojas, mesmo durante o período de pandemia. “Ocorreu nesse período a abertura de novas lojas e vai ocorrer agora, em outubro, a abertura de duas novas grandes lojas, uma em Belém e outra em Ananindeua. Cada loja que é aberta há contratações. Final do mês passado, houve a inauguração de uma loja em Abaetetuba, que gerou 574 empregos diretos”, informou ele, ao acrescentar que todos os currículos recebidos ficam no banco de dados das redes de supermercados, visando a contratação quando há abertura de novas vagas.

O presidente da Aspas ressaltou ainda que, em média, todos os anos, a contratação de temporários gira em torno de 3% a 4% de acréscimo no quadro, nos três últimos meses do ano, uma expectativa que deve se manter este ano. “Há uma tendência de um aumento normal das vendas, em função da injeção do 13º salário e as festas de final de ano, que esse ano serão em casa. E a contratação de agora será em função dos temporários. A economia está começando a retomar a normalidade. Desses temporários, muitos acabam até ficando na empresa, dependendo de como exercem a função”, explicou Jorge Portugal.